• Utilizador em Destaque: André Matos
Blogue: Gira-discos Estragados
Primeira publicação: Fevereiro 2012
O André é uma daquelas figuras simpáticas com quem apetece conversar imediatamente. A maturidade com que escreve não denuncia os seus 22 anos. Trabalha na área de cinema e, adivinhem? Ora, pois bem, também escreve sobre cinema no seu Gira-discos Estragados.
Como surgiu a ideia de criares o Gira-discos Estragados?
Há uma aparelhagem velha lá em casa, cuja agulha estraguei, por querer perceber como funcionava. Queria ouvir sozinho os discos do meu pai e acabei por avariar-lhe o gira-discos. Nessa tarde muda, sem música, comecei a criar um álbum de recortes onde guardava imagens, comentários e factos sobre os filmes que via, sobre as músicas e os artistas que mais gostava (recortes esses, que se transformaram em posts – assim que tive acesso à internet).
À medida que fui crescendo e conhecendo mais, evidentemente, a minha relação com os filmes, foi mudando. Aquilo que publico hoje em dia, no Tumblr, é uma derivação natural da minha longa e contínua amizade pelas imagens e pelas palavras do cinema.
[[MORE]]
Porque escolheste o Tumblr para alojar os teus conteúdos, visto não ser uma escolha óbvia para blogues com textos?

Aderi inicialmente ao Tumblr por gostar muito das imagens que via serem publicadas por outros utilizadores. Assim que me apercebi da facilidade com que podia migrar os “meus recortes” de imagens e de texto para aqui, fi-lo sem hesitar. Por ser bastante acessível e por permitir uma simplicidade única naquilo que escolhemos apresentar – seja em texto ou imagem.
Tens algum plano editorial ou escreves à medida que te vai apetecendo? 

Não existe um plano editorial por detrás daquilo que edito no Tumblr. A regra que impus a mim próprio foi apenas uma: publicar sempre que me encontro com um filme que realmente me toca (seja isso ao fazer desassossegar-me com questões que nunca coloquei a mim mesmo ou ao fazer-me debater com particularidades da vida que nunca analisei com muita clareza). É por esses filmes que mais afeição sinto e consequentemente sobre esses que publico.
Quais são os blogues Tumblr sem os quais não podes viver?

Hora da confissão: Sou um stalker completo do The Diaries of a Killer e de O Homem Duplicado (já aqui mencionado antes). Sou também um perseguidor recente do Comunidade Cinéfila Portuguesa.

A pergunta da praxe: qual o teu Top 5 de filmes preferidos?

É impossível para mim definir um Top propriamente dito dos meus cinco filmes preferidos. No entanto, se tivesse de ter agora uma longa conversa sobre os cinco realizadores que realmente me perturbaram e agitaram com os seus filmes nos últimos tempos, certamente surgiriam os nomes de: Joachim Trier (Oslo August 31); Víctor Erice (El Sur e El espíritu de la Colmena); Kelly Reichardt (Old Joy e Wendy & Lucy); Terrence Malick (Days of Heaven e The Thin Red Line); Ingmar Bergman (Fanny and Alexander).

Fotografia: André Matos

      Utilizador em Destaque: André Matos

      Blogue: Gira-discos Estragados

      Primeira publicação: Fevereiro 2012

      O André é uma daquelas figuras simpáticas com quem apetece conversar imediatamente. A maturidade com que escreve não denuncia os seus 22 anos. Trabalha na área de cinema e, adivinhem? Ora, pois bem, também escreve sobre cinema no seu Gira-discos Estragados.

      Como surgiu a ideia de criares o Gira-discos Estragados?

      Há uma aparelhagem velha lá em casa, cuja agulha estraguei, por querer perceber como funcionava. Queria ouvir sozinho os discos do meu pai e acabei por avariar-lhe o gira-discos. Nessa tarde muda, sem música, comecei a criar um álbum de recortes onde guardava imagens, comentários e factos sobre os filmes que via, sobre as músicas e os artistas que mais gostava (recortes esses, que se transformaram em posts – assim que tive acesso à internet).

      À medida que fui crescendo e conhecendo mais, evidentemente, a minha relação com os filmes, foi mudando. Aquilo que publico hoje em dia, no Tumblr, é uma derivação natural da minha longa e contínua amizade pelas imagens e pelas palavras do cinema.

      Porque escolheste o Tumblr para alojar os teus conteúdos, visto não ser uma escolha óbvia para blogues com textos?

      Aderi inicialmente ao Tumblr por gostar muito das imagens que via serem publicadas por outros utilizadores. Assim que me apercebi da facilidade com que podia migrar os “meus recortes” de imagens e de texto para aqui, fi-lo sem hesitar. Por ser bastante acessível e por permitir uma simplicidade única naquilo que escolhemos apresentar – seja em texto ou imagem.

      Tens algum plano editorial ou escreves à medida que te vai apetecendo? 

      Não existe um plano editorial por detrás daquilo que edito no Tumblr. A regra que impus a mim próprio foi apenas uma: publicar sempre que me encontro com um filme que realmente me toca (seja isso ao fazer desassossegar-me com questões que nunca coloquei a mim mesmo ou ao fazer-me debater com particularidades da vida que nunca analisei com muita clareza). É por esses filmes que mais afeição sinto e consequentemente sobre esses que publico.

      Quais são os blogues Tumblr sem os quais não podes viver?

      Hora da confissão: Sou um stalker completo do The Diaries of a Killer e de O Homem Duplicado (já aqui mencionado antes). Sou também um perseguidor recente do Comunidade Cinéfila Portuguesa.

      A pergunta da praxe: qual o teu Top 5 de filmes preferidos?

      É impossível para mim definir um Top propriamente dito dos meus cinco filmes preferidos. No entanto, se tivesse de ter agora uma longa conversa sobre os cinco realizadores que realmente me perturbaram e agitaram com os seus filmes nos últimos tempos, certamente surgiriam os nomes de: Joachim Trier (Oslo August 31); Víctor Erice (El Sur e El espíritu de la Colmena); Kelly Reichardt (Old Joy e Wendy & Lucy); Terrence Malick (Days of Heaven e The Thin Red Line); Ingmar Bergman (Fanny and Alexander).

      Fotografia: André Matos